sábado, 24 de maio de 2014

Exames a quanto obrigas!

Exame de constitucional a 20 de Janeiro. Já vamos no terceiro e o resultado vai ser o mesmo que o primeiro. Já la vai ciência politica e o direito à introdução. Lá vou eu no metro com a minha constituição ás 9h da manha. Chego à faculdade com intenções por inteiro e o estudo pela metade, penso nas horas que perdi e que podia ter aproveitado. Se calhar naquelas tardes devia mesmo ter estudado. De certa forma, a faculdade é um percurso. Não sei o que seria de mim sem a época de recurso! Não me consigo concentrar, não sei o que tenho. Será que existe doença crónica chamada "falta de empenho"? É estranho, devo ser o único que não sabe as matérias e que desde 16 de Dezembro tem aproveitado as férias. Vou para a sala sem que ninguém me chame e espero sentado para assinar a folha do exame. Ela tava mal humorada e era o exame constitucional. Pelo olhar apercebi-me que me inscreveria no final e em Junho estaria marcada a data da execução com a cabeça para baixo e a CRP na mão. Pergunto-me, o que se passa com a introdução? Será que deixa-la para trás me está nos genes ou parte da culpa está nos 97% da Graça Enes? Se alguém se identifica com isto, que nunca se esqueça negativas na faculdade não é vergonha, que ninguém baixe a cabeça!
Não sei o autor, mas os meus parabéns! 


Sem comentários:

Publicar um comentário